sábado, junho 15, 2013

Distantes de Deus!!!



Vemos hoje o quão estamos distantes de Deus Altíssimo! Não nos afastamos de Deus apenas estando longe das nossas igrejas, mas também e principalmente quando fazemos algo que está distante da Sua soberana, boa, agradável e perfeita vontade e que está totalmente contra aos ensinos das Sagradas Escrituras. Quantas e quantas vezes entristecemos o Espírito Santo de Deus com nossas ações impensadas e algumas muitas vezes ações premeditadas, o que se concretiza em uma transgressão, ou seja, somos sabedores do que desagrada a Deus, e mesmo assim nos deixamos subjugar por aquilo que deveríamos combater pelo poder do Espírito Santo.  Não ceder a essa fraqueza deveria ser uma coisa fácil uma vez que somos conhecedores da verdade. Todavia, a realidade não é tão fácil assim, ainda não somos capazes de vivermos cabalmente a exortação de Tiago: “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmo” (Tg 1.22). Enfim, sabemos ouvir, entretanto não somos bons praticantes da Palavra de Deus, ou ainda talvez nos falte fé, coragem e ousadia para subjugarmos as nossas vontades sejam elas carnais ou materiais. Na verdade o que parece ocorrer é que ainda vivemos sob o jugo do nosso EU, que permeia nossas mentes e corações ainda enfraquecidos pelo pecado e dominados pelo egoísmo que traz consigo pensamentos, desejos e vontades que não condizem com vontade perfeita e santa de Deus.
Estamos diante de um quadro aterrador. Estamos vivendo tempos em que desobedecer a Deus ao que parece se tornou moda e cada um que desobedeça mais que o outro, só que no final não existirá aquele que pecou mais ou menos que o outro, só o que haverá é a recompensa por tais atos que nos é ensinada na epístola de Paulo aos romanos: “pois o salário do pecado é a morte...” (Rm 6.23). Diante disso nos perguntamos: “Por que fazemos isso?” “Sabemos que estamos errados, mas então como é que cometemos tais atos e agimos dessa forma?” A resposta pode nos parecer muita dura e cruel, mas é verdadeira: “temos a Cristo apenas como Salvador de nossas miseráveis vidas, todavia não o temos como Senhor!” Pensamos que podemos viver a torto e a direita, ao nosso bel prazer, contudo as Escrituras nos ensinam uma verdade irrevogável e eterna: “Alegre-se jovem na sua mocidade! Seja feliz o seu coração nos dias da tua juventude. Siga por onde o seu coração mandar; até onde a sua vista alcançar; mas saiba que por todas essas coisas Deus o trará julgamento” (Ec 11.9). Por isso que os que se professam cristãos e servos do Deus Altíssimo tem que entender e aceitar o senhorio soberano de Cristo sobre suas vidas e ministérios.  Cristo é o justo juiz e nos deu algo precioso (nossas vidas e ministérios) para que cuidemos com zelo e amor, e que essa dádiva é algo que deve ser usufruído para a honra e glória Dele, pois como nos ensinam os puritanos ingleses o fim principal de todo homem é glorificar a Deus e gozá-lo para todo o sempre. E como Ele é o justo juiz e Nele não existe injustiça, ele poderia muito bem nos deixar perecer no inferno eternamente, mas por causa de sua irresistível graça Ele enviou o seu Filho Eterno para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. A bem da verdade é que estamos distantes de Deus, e se antes de Ele nos salvar merecíamos o inferno, será que agora merecemos algo diferente? Claro que não! Não temos nada em nós que atraia a graça do Senhor, pois se tivéssemos a graça já não seria graça! Devemos nos lembrar das palavras de Cristo aos mestres da lei e fariseus de que eles não passavam de sepulcros caiados, ostentamos uma retidão que não existe, podemos parecer retos e íntegros por fora, mas nossas mentes e coração estão imundos e carregados de toda sorte de podridão e pecados, não somos melhores do que os mestres e fariseus que foram advertidos por Jesus.
O certo é que por estarmos distantes de Deus definhamos por causa de nossa natureza ainda pecaminosa, e de certo modo é que procuramos a quem culpar, mas cegos que estamos pela nossa hipocrisia não queremos abrir os nossos olhos para enxergarmos que o erro está em nós e em nossas atitudes erronias que nos desviam completamente da vontade de Deus, mas dessa forma por conta de nosso comportamento tortuoso pergunto-me: “Qual o significado da morte de Jesus para nossas vidas?” Mesmo depois de salvos continuamos distantes de Deus e continuamos a cometer os mesmos erros e até piores de antes de sermos salvos, se é que somos realmente salvos! Infelizmente a resposta fria para a pergunta feita acima é que na realidade estamos tratando o sacrifício de Cristo com menosprezo. Seu sacrifício se tornou nosso escape para justificarmos nossas práticas pecaminosas e assim nos afundamos cada vez mais no abismo do pecado e nos distanciamos de Deus e de sua vontade soberana.
Não podemos tratar o sacrifício de Cristo como uma moeda que varia de valor de acordo com o “mercado de pecado”, pois vivemos numa onda de pecados e pedidos de perdão que embotam nossas vidas e fazem com que Cristo fique a nossa mercê esperando o nosso próximo pecado para perdoá-lo. Vivemos como cegos imersos em nossa arrogância e não enxergamos que mesmo que o amor de Deus seja incondicional, ele espera “daqueles” que se dizem servos seus, respeito, amor, fé, reverência e acima de tudo obediência a esse incondicional amor! Amor esse que em sua soberana graça nos escolheu e que nos perdoou e nos predestinou para vivermos em santidade e em irrepreensibilidade diante de Deus e dos homens, mas enquanto  estivermos distantes de Deus isso não é possível!
Portanto, atentemos para a exortação do profeta Joel: “Agora, porém, declara o Senhor, ‘voltem-se para mim de todo o coração com jejum, lamento e pranto’. Rasguem o vosso coração e não as vestes. Voltem-se para o Senhor, o seu Deus, pois ele é misericordioso e compassivo, muito paciente e cheio de amor arrepende-se e não envia a desgraça”. (Jl 2.12-13).

Que Deus tenha misericórdia de nós e nos ajude!!!

Soli Deo Gloria!!!

Joel da Silva Pereira


3 comentários:

  1. Pregação que humilha a nossa carne é aquela que exalta a Cristo. Todas as nossas justiças são como trapo de imundícia e, sem Cristo, nada podemos fazer. Por isso é bom saber o critério do Pai: não corremos o risco de oferecer uma adoração que ele não requereu de nós.

    Precisamos orar pela nossa nação, nossos líderes políticos e eclesiais, para que Deus venha a nos dar uma vida quieta e sossegada (I Tm 2:1-4). E que possamos, antes de querer milagres, sinais, prodígios e maravilhas da parte de Deus, conhecê-lo em sua simplicidade e verdade. Que o Senhor não nos trate segundo os nossos pecados, mas conforme as suas muitas misericórdias.

    Abraço, Joel.

    ResponderExcluir
  2. Que a graça e a paz do senhor Jesus esteja com você meu irmão, fiz agora um estudo nos seus últimos três artigos, e vejo que através dessas palavras devemos cada vez mais orar e vigiar como diz a palavra de DEUS,( “Olhai, vigiai; porque não sabeis quando chegará o tempo…”, Mar.13:33.)
    Diante do que li, vejo que muita gente se encontra distante de DEUS mesmo dentro da igreja como você já mencionou, o que falta é o( Nascer de Novo).
    A Bíblia é bem clara sobre a necessidade de uma pessoa nascer de novo para receber a vida eterna. Jesus foi bem claro em João 3:3-7, quando disse ao líder religioso Nicodemos: “Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”. Como essa necessidade é tão importante, Satanás a tem atacado com todo o seu poder nos últimos dois mil anos, fazendo a maioria das igrejas cristãs deixarem de ensinar essa doutrina, apesar de que ninguém pode ser salvo sem passar por essa maravilhosa conversão espiritual. Muitos estão na casa de DEUS por emoção por moda.
    Estamos vivendo momentos de extrema ambiguidade no cenário evangélico brasileiro. Todo dia aparece uma “doutrina” diferente, uma nova manifestação de Deus, uma nova “gospel mania”, um novo discurso evangélico, e vez por outra aparecem pessoas com conceitos os mais variados possíveis, que estão se transformando em Doutrinas em muitas igrejas consideradas evangélicas.
    Na verdade muitas pessoas estão invalidando o sacrifício de Jesus em suas vidas. Infelizmente para muitas pessoas “o modismo”, tem se tornado muito mais relevantes do que as verdades básicas do evangelho. Basta o anuncio de um “novo” mover do Espírito Santo, para atrair multidões de pessoas, a procura de uma nova experiência com Deus. A minha preocupação é que estas pessoas estão sendo vitimas de um evangelho desprovido da verdadeira essência espiritual. Paulo escrevendo aos Coríntios "Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã" ( 1 Coríntios 1.17.)temos que seguir o exemplo de Paulo como servos de DEUS.
    Romanos 12.1 ensina que devemos prestar a Deus um culto racional, de forma lúcida para cultuar ao Senhor. Somos imagem e semelhança de nosso Criador e somos as únicas criaturas de Deus que podem por isso prestar verdadeiramente um culto racional àquele que nos criou e nos redimiu em Cristo.
    Hoje, percebo com tristeza que muitos estão trocando o verdadeiro culto a Deus, conforme vemos nas Escrituras, onde exaltamos a Majestade divina, onde recordamos Seus atributos e O louvamos por isso, ,Adoramos e cultuamos a Deus com todo o nosso ser. Isso inclui tudo o que somos e temos. Jesus disse claramente sobre isso, "Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento" (Mc 12.30). Portanto, cultuar ao Senhor envolve o todo de nossa vida. Pode-se afirmar que é mesmo um estilo de vida.
    Romanos 14. 12 De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.
    Que possamos Rever que tipo de adoração estamos dando ao senhor.
    Que o senhor tenha misericórdia de nós. Sua irmã em cristo Joselma

    ResponderExcluir
  3. o amor de Deus foge a sabedoria humana, a maior prova disso é que Ele entregou o próprio filho para que aqueles que viessem a crer nele pudessem ser salvos não pelo que são, mas sim pela graça, pois todos estavam mortos em seus delitos e pecados!! Deus é maravilhoso.

    Muito bom artigo!!

    ResponderExcluir